Os Programas Mais Inseguros de 2009

Sei que muitos de você devem utilizar os programas que foram analizados pela Revista Forbes, veja a matéria abaixo:

Um relatório da revista Forbes constatou que o Adobe Reader foi um dos alvos prediletos de crackers este ano, deixando o segundo lugar no Microsoft Internet Explorer e Mozilla Firefox na terceira.

O estudo foi desenvolvido pela iDefense, divisão de segurança da Verisign, a pedido da publicação. Nós também consultamos especialistas da TippingPoint e Qualys.

A Forbes observa que o famoso leitor de documentos PDF durante o ano sofreu 45 erros exploradas por crackers. Esse número ultrapassa os 14 identificados em 2008, dobrando aos detectados em 2007.

"É um foco importante de ataque, como dez vezes mais do que o Microsoft Office", disse o diretor de tecnologia da Qualys, Wolfgang Kandeke.

Segundo a Forbes, o Adobe Reader cumpriu as características que o tornam um bom alvo para ataques. Quase todos os usuários tenham instalado no seu PC, sua base de código-fonte é muito complexo e tem acesso suficiente a um computador do usuário para dar a um cracker uma boa porta de entrada.

Em maio, a Adobe lançou um valor histórico de patches de segurança para o leitor. "O debate é se devemos fazer uma parada na estrada, tanto no que diz respeito ao desenvolvimento de produtos e foco na correção de falhas de segurança", diz Kevin Lynch , diretor de tecnologia da Adobe.

O resto da lista:

Em segundo lugar na lista é o Internet Explorer da Microsoft, com 30 buracos de segurança, o mesmo montante para 2008, mas bem abaixo dos 49 encontrados em 2007.

Depois veio o Firefox, Mozilla, cujo uso cresceu para 25% do mercado. Assim, os crackers começa a vê-lo como um outro fato alvo atraente e encontrou 102 bugs, acima de 90, de 2008. Tanto quanto ter maior número de erros, a ser pública pela natureza de código aberto do programa, não é comparável com o IE.

Em quarto lugar é ocupado por outro programa da Adobe, o Flash. Hackers encontraram 11 vulnerabilidades, abaixo dos 19, de 2008.

Segue-se o Quicktime, da Apple Software, com 26 bugs encontrados, um pouco abaixo dos 36 encontrados em 2008.

Forbes observa que no Windows Media Player, o equivalente a Microsoft, foram detectados apenas 3 bugs.

A lista da Forbes continua com o Microsoft Office, onde os hackers encontraram 41 erros podem ser exploradas, pouco menos de 44 anos atrás.

Windows é o software que completa a lista da Forbes, que destaca que permanece uma das principais metas, porque é o sistema operacional mais usado no mundo.

E lembre-se Conficker, que conseguiu infectar 7 milhões de computadores em poucos dias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário